Ultrassom Obstétrico Inicial

Dra. Bruna   •   Agosto 14, 2019

É o primeiro ultrassom da gestação, sendo realizado por via transvaginal, entre 6 e 12 semanas. É de extrema importância, pois através dele é possível avaliar a idade gestacional com mais exatidão, a implantação adequada do saco gestacional (diagnosticando-se os casos de gestação ectópica); o número de embriões gestações gemelares, trigemelares…) e ouvir os batimentos do embrião (vitalidade). É neste exame diagnosticamos os casos de gestação ectópica ( quando o saco gestacional implantam-se fora da cavidade uterina), que precisam de avaliação médica e conduta obstétrica muitas vezes emergencial pelo risco que traz à paciente.
Nos casos de gestações gemelares, trata-se do melhor período para se definir a corionicidade da gestação (se tem uma ou duas placentas), sendo está informação de extrema importância para todo seguimento da gestação)! As gestações gemelares monocoriônicas (1 placenta) estão sujeitas a maior risco de complicações e necessitam de acompanhamento obstétrico e ultrassonográfico rigoroso.
Existem casos também em que há a formação do saco gestacional, porém não se desenvolve o embrião, a chamada gestação anembrionada. Após o diagnóstico por imagem, a paciente deve procurar seu médico obstétrico para decidirem a abordagem desta gestação que não evoluiu.
Neste ultrassom inicial também é possível avaliar os casos de sangramento de primeiro trimestre, através da análise de descolamentos e hematomas peri-ovulares, que podem corresponder desde a uma ameaça de aborto ( em que a vitalidade do embrião está preservada e a gestante precisará de cuidados especiais por um período) a um aborto propriamente dito.